Casos de Sucesso

 

 

 

 

 

 

CAIO INDUSCAR implanta Sistema
altamente complexo e com excelente
performance desenvolvido em Visual DataFlex

 

A solução foi desenvolvida pela software-house INFORPEM

 

Resumo do Projeto : Sistema para configuração de Onibus Urbanos e Rodoviários com mais de 500 variáveis, obedecendo os Projetos existentes (desenvolvidos pela Engenharia do Cliente), o Regulamento especifico da Cidade escolhido pelo Cliente. Possui inteligência desenvolvida através das amarrações que configuram as variações entre dois ou mais itens da configuração . São mais de 400 amarrações e algumas chegam a ter uma dezena de itens de configuração. Desta forma entre itens de configuração que tem amarração, quando o usuário escolhe um item da amarração e vai selecionar outro item da amarração o sistema só mostra as opções possíveis previamente cadastradas na amarração, baseados nos outros itens selecionados. 

 

Histórico do cliente
Em 1946, a empresa CAIO iniciou suas atividades já como encarroçadora de ônibus e em 1982 a fábrica de Botucatu foi
inaugurada oficialmente. Em janeiro de 2001, um novo grupo - constituído por empresas de transporte de pessoas -, assumiu,
por meio da empresa INDUSCAR, o parque fabril e o direito de uso e comércio dos produtos da marca CAIO. O grupo atua
também na venda de veículos comerciais, chassis para ônibus, caminhões e automóveis nacionais e importados. No mês de
março de 2009, a INDUSCAR passou a ser dona da marca CAIO e parque fabril. Hoje a CAIO INDUSCAR é uma montadora de
veículos que encarroça ônibus, ou seja, ela recebe os chassis das montadoras Mercedes Benz, Volkswagen, Volvo, entre
outras, e monta toda a estrutura do ônibus, incluindo piso, laterais, teto, poltronas, portas, painel, pintura e acessórios. Hoje a
CAIO INDUSCAR é líder na produção de carrocerias urbanas, tem seu escritório central localizado na cidade de São Paulo e o
parque fabril na cidade de Botucatu, SP, com uma área total de 445 mil m² e 101 mil m² de área construída. Tem cerca de 3000
colaboradores em empregos diretos na fábrica, participando do crescimento do polo industriário da região e do Brasil. Sua
capacidade de produção é de 40 carrocerias ao dia. A CAIO INDUSCAR atua em todo o território nacional e em países como a
África do Sul, Angola, Chile, Costa Rica, Equador, Jordânia, Líbano, Nigéria, Peru, República Dominicana, Taiti, Trinidad Tobago,

entre outros.

 

Necessidade do cliente
Se a CAIO INDUSCAR oferecesse apenas algumas opções de modelos como acontece com as montadoras de carros, já seriam
projetos complexos, pois cada configuração de ônibus tem em torno de 5.000 itens na sua composição, sem contar o chassi.
Mas por uma opção comercial a CAIO INDUSCAR monta o ônibus da forma que o cliente deseja. Com isto, ao invés de algumas
variações, ela tem ao longo dos anos desenvolvido milhares de variações de projetos. E para completar, o ambiente de
configuração de uma encomenda ou pedido existem os regulamentos de cada cidade com itens obrigatórios que os ônibus
devem obedecer para rodar numa determinada cidade. A cidade de São Paulo, por exemplo, tem diversos regulamentos.
Com toda esta complexidade é possível entender a dificuldade dos vendedores para configurar um pedido e muitos tinham
que ser totalmente revisados quando chegavam à engenharia; principalmente porque dezenas de detalhes do pedido eram
enviados em arquivo texto no sistema anterior. E acontecia, em alguns casos, de uma encomenda sair com algum item
configurado incorretamente, gerando retrabalho, custos e insatisfação. Um outro ponto importante da configuração de um
ônibus é que diversos itens são dependentes de outros. A cada interdependência entre dois ou mais itens dá-se o nome de
amarração.


Características da solução
O Sistema trabalha em torno de duas grandes estruturas: o guia padrão que é um regulamento com todas as normas
obrigatórias para um ônibus circular numa determinada cidade (uma cidade pode ter vários regulamentos). E uma estrutura
semelhante para os pedidos a serem fabricados. O pedido contém 35 telas e mais de 500 campos. Um pedido ou guia padrão é
relacionado a 280 tabelas diferentes. São mais de 50 grids vinculadas a um pedido ou guia padrão. Toda a estrutura de
pedidos é replicada para os guias padrão. O Sistema tem aproximadamente 1000 tabelas usando banco de dados SQL Server
2008 entre tabelas principais, tabelas relacionadas e tabelas de controle do sistema. Gravação automática do pedido a cada
mudança de aba. A partir de um guia padrão ou cópia de um pedido existente o Sistema gera um pedido completo ficando
para o vendedor apenas ajustes pontuais solicitados pelo cliente. Sobre o conceito de campo regulamentar: uma vez definido
no guia padrão, os campos regulamentares - sejam eles checkbox, combo, células de grid ou linhas completas de grid -, têm de
ser destacados com uma cor diferente.


Histórico de Desenvolvimento do Projeto
Pela característica bastante técnica do pedido de um ônibus desde o início do projeto foi o departamento de engenharia quem
definiu os requisitos do sistema. Porém, inicialmente nem mesmo a engenharia tinha ideia exata de como deveria ser o
escopo do projeto. A primeira equipe de engenharia definiu um escopo em que um pedido tinha em torno de 80 variáveis ou
campos. Esta primeira versão foi desenvolvida ainda com DataFlex 6 e tabelas nativas DAT. O Sistema parecia estar pronto,
mas uma nova equipe foi designada pela gerência de engenharia para redefinir o escopo do projeto com uma visão muito mais
abrangente das variáveis do pedido e diversos novos conceitos, o Sistema foi praticamente refeito. Um dos exemplos criado
foi um cálculo de frete. Para ele criamos quatro objetos Form: “KM Rodado”, “Valor por KM”, “% Pedido sobre o Frete” e
“ICMS”. Todos eles são acompanhados de tags {NOME_TAG} e essas tags são referenciadas nas fórmulas para cada clientes
distintos. Neste ponto migramos o Sistema para a versão 14 do DataFlex. A versão 6 não conseguia mais compilar e rodar o
Sistema corretamente. Foi criado um grande cadastro de plantas de poltronas (foi o primeiro cadastro implantado no
Sistema). Milhares de plantas de poltrona foram importadas e toda nova planta desenvolvida pela engenharia foi cadastrada
no Sistema. As plantas de poltrona têm diversos campos relacionados às mesmas tabelas dos pedidos e guias padrão. Foi a
primeira parte do Sistema a entrar em produção. Para evitar cadastramento de centenas de tabelas de cadastro e amarrações,
elas eram importadas do TOTVS Datasul e gravadas em planilhas do Excel que eram codificadas e importadas no SQL Server.
As tabelas do Sistema foram migradas para o banco de dados SQL Server versão 2005. Esta nova equipe continuou até o fim do
projeto, no entanto mais três grandes revisões/reestruturações foram definidas pela engenharia, conforme as versões do
Sistema eram apresentadas e eles conseguiam visualizar melhor o seu funcionamento. Ao longo destas fases foi necessário
migrar o Sistema para a versão 16 do DataFlex, pois a versão 14 não compilava e não rodava mais a contento. A versão do SQL
Server também foi migrada para a versão 2008 em função de padronização da empresa. A preocupação durante este processo
era muito grande quanto à performance do Sistema, pois a toda hora eram definidos novas grids, campos combo e campos
checkbox vinculados à tabela principal do pedido. Além de novas amarrações entre campos do pedido. A cada mudança de
aba o registro principal do pedido é gravado. Toda e qualquer alteração em qualquer tabela do Sistema é gravada através do
log do MenuFlex da Acronsoft. O Sistema que está rodando em produção atualmente está compilado na versão 16 do
DataFlex. Além da estrutura de pedidos e seus arquivos relacionados era preciso uma solução para o problema dos
regulamentos de cada cidade, uma vez que um ônibus não pode circular se não obedecer aos itens regulamentares da sua
cidade. A solução foi criar uma segunda estrutura, semelhante à de pedidos e relacionada aos mesmos arquivos da estrutura
de pedidos. Para se ter uma ideia da complexidade da solução, a tabela principal de pedidos e dos guias padrão
(regulamentos) está relacionada a 282 arquivos em cada uma das duas estruturas. Uma vez montadas as duas estruturas
surgiu um novo desafio: no guia padrão deveria ser possível definir e "pintar" de uma cor diferente todos os itens
regulamentares ou obrigatórios do regulamento, independentemente do item ser um checkbox, combo, um registro de um
grid ou apenas uma célula de um determinado registro de um grid. Foi montada uma estrutura para gravar e "pintar"
corretamente tanto os pedidos quanto os guias padrão. E aí foi desenvolvido um dos grandes diferencias do Sistema: gerar um
pedido completo a partir de um guia padrão (regulamento) ficando para o vendedor apenas definir o cliente e alguma

mudança específica solicitada pelo cliente, desde que não seja um item obrigatório de regulamento.

 

Mais um dado que merece ser mencionado: as tabelas de pedidos e guias padrão têm em torno de 860 campos. Com toda
esta complexidade não há queixas de lentidão em relação ao sistema por parte dos usuários. A versão atual roda em
ambiente Windows. Os usuários remotos acessam o Sistema através do Terminal Services do Windows. Em paralelo ao
desenvolvimento do Sistema com DataFlex foram desenvolvidos em linguagem Java diversas rotinas de integração com ERP
Datasul TOTVS. Entre estas rotinas está a geração do pedido no ERP TOTVS com todos os dados necessários para o
faturamento dos ônibus (itens específicos para cadastramento do ônibus junto ao DETRAN). Além disso, diversos cadastros
comuns aos dois Sistemas tais como cadastros de clientes, carrocerias, chassis, fabricantes, entre outros, são sincronizados
automaticamente.


Benefícios do novo Sistema
Todas as encomendas feitas não apresentaram divergências com as especificações solicitadas pelos clientes, não gerando
retrabalho e consequentemente custos adicionais. Esta afirmação foi feita pelo gerente responsável pela área de PCP da
CAIO INDUSCAR. Os pedidos quando são listados para a engenharia têm sempre a mesma sequência de campos, que é a
mesma das telas de pedidos e do guia padrão. Antes eram textos livres, onde se falavam de um determinado item em
diversos pontos do texto, dificultando muito a correta estruturação das informações. O Sistema hoje é acessado pelas áreas
comercial, apoio a vendas, financeiro, custos, engenharia, pós-vendas e produção (linha de montagem). Em poucos minutos,
através da geração do pedido feito pelo guia padrão ou pela cópia de outro pedido, é possível listar para o cliente a
configuração completa do pedido (esta configuração tem pelo menos oito páginas entre itens padrão e centenas de
acessórios disponíveis). Com a configuração padrão de uma encomenda feita pelo Sistema foi possível atingir um nível de
padronização que não se conseguia atingir anteriormente, pois o vendedor podia definir os itens aleatoriamente. Isto facilita
a administração de materiais, pois o Sistema pode sugerir itens que estejam com saldo no estoque, ao invés do vendedor
escolher um item sem saldo e que tenha que disparar um processo de compra. A alteração em massa, um dos conceitos mais
complexos do Sistema, que busca os guias padrão que atendem um ou mais critérios e troca um item qualquer, pode ajudar
tanto na administração de materiais quanto na substituição de itens obsoletos. O checklist de vendas permite que o usuário
visualize a planta de poltronas e a planta de pintura da encomenda, dois itens específicos de cada encomenda. Foi
desenvolvida uma complexa lógica para mostrar aos usuários, de forma amigável, toda e qualquer alteração feita nas tabelas
de pedidos, guias padrão e tabelas de cadastro. Diversas rotinas foram desenvolvidas de forma genérica, podendo trabalhar

com as centenas de tabelas do Sistema, gerando um código mais enxuto.

 

Visão de futuro
O Sistema está implantado nas regionais mais importantes em termos de faturamento. Nos próximos meses serão
implantadas as regionais que ainda não estão no Sistema. Deve ser desenvolvida ainda uma versão Web e uma Mobile com
alguns dados do pedido para consulta e/ou aprovação da área comercial. A engenharia continua cadastrando os guias
padrão (regulamentos) de diversas cidades, de acordo com o plano de incorporação de novas regionais ao Sistema.
Aproximadamente 1000 regulamentos ou guias padrão já foram cadastrados. Diversas novas funcionalidades foram
solicitadas pelos usuários que devem ser implementadas nos próximos meses.
A Data Access América Latina agradece a participação do Sr. Rogério Pricoli diretor presidente da INFORPEM pelo
fornecimento das informações para o desenvolvimento deste caso de sucesso. E, parabeniza a empresa CAIO INDUSCAR
pela conquista do Prêmio Lótus pelo terceiro ano consecutivo. A CAIO INDUSCAR foi vencedora na categoria “Marca do Ano
em Carrocerias de Ônibus Urbanos”. O Prêmio Lótus, idealizado pela Editora Frota, está em sua 23ª edição, e destaca marcas
e modelos de ônibus, caminhões e utilitários mais vendidos do país em 23 categorias.